História do Aprovado do estudante de medicina Lucas

Blog
Reading Time: 3 minutes

A trajetória para entrar em curso de medicina pode ser bem parecida para a maioria dos vestibulandos de medicina, ter essa proximidade e identificação, pode aliviar um pouco da pressão e da ansiedade que é entrar numa escola médica. A história do aprovado de hoje é com Lucas Veríssimo, 24 anos, estudante de medicina do 7° período  da Universidade Federal de Sergipe.

Sei que todo mundo quer passar logo na primeira tentativa, no entanto, segundo dados do Censo Superior de Educação, a porcentagem dos alunos que passam de primeira no vestibular de medicina é baixa. 

Você pode conferir  aqui o perfil do estudante de medicina no Brasil.

E você aí, se torturando achando que sua hora tem que ser agora. Controla a ansiedade e vem conferir a trajetória de Lucas, que pode ser bem parecida com a sua.

A medicina nem sempre caí como uma luva

Segundo Lucas, ele tinha dúvida sobre qual caminho queria seguir, se seria no meio acadêmico ou atuar como médico, então a possibilidade de cursar biotecnologia na Universidade Federal de São Carlos passou pela cabeça desse estudante de medicina.

No entanto, o fator financeiro foi colocado na balança, ele não teria condições reais de mudar de cidade, dessa maneira, os caminhos e bolso, mais especificamente o fizeram ficar em Sergipe mesmo, e tentar medicina na UFS. 

Três anos de cursinho, e depois a aprovação em medicina

Lucas foi aprovado na UFS pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na sua terceira tentativa, depois de concluir o ensino médio. 

Embora o processo de aprendizagem seja individual para cada um, Lucas seguiu um caminho que é comum entre os vestibulandos de medicina, quando concluiu o ensino médio, matriculou-se em um cursinho.

Ele ainda tentou estudar sozinho em casa, porém haviam muitas distrações e o tiravam do foco. 

No cursinho ele se sentia mais integrado com os assuntos e com as aulas. Outro ponto importante que Lucas ressaltou na entrevista para melhores escolas médicas, é que ele aprendia ajudando e ensinando para os seus colegas de turma.

Muitas pessoas tendem a ver os outros alunos como concorrentes, com Lucas foi o contrário.

Ele afirmou que nunca os viu dessa maneira, sempre achou que todo mundo tem sua hora e seu lugar e não perderia nada ajudando, muito pelo contrário, aprendeu e muito. 

 

Método de estudos

Você já conhece o método de estudos ativo? Como o próprio nome já diz, ele é o oposto do método passivo, aquele que utilizamos na escola.

No estudo ativo, o aluno é o protagonista da “aula”. É através dele que o conteúdo é pesquisado, lido, questionado, analisado, resolvido e assim por diante.  A principal ideia do estudo ativo é que o estudante se envolva com o assunto, e que ele procure as respostas.

Em suma, dentro do método ativo, existe a resolução de questões que foi exatamente o método que Lucas utilizou para passar no vestibular de medicina. 

“O método que mais funcionou comigo foi resolver provas antigas e entender como funciona a prova”, ressaltou Lucas, estudante de medicina.

 

Ansiedade X Enem

Embora Lucas se descreva como uma pessoa muito tranquila, principalmente em relação às provas, no ano em que ele passou no Enem, foi o momento em que a ansiedade estava latente e quase fez com que ele desistisse da prova no meio do caminho.

De acordo com Lucas, no primeiro dia de prova, especificamente na hora da redação, ele travou.

Passou mais de 1:30h para começar a escrever, porque  estava travado. Porém, respirou, pediu para ir ao banheiro, lavou o rosto, e voltou para sala da prova e fez a redação em 40 min, depois disso o resto fluiu. 

Estudante de medicina

Na sua rotina na faculdade, esse estudante de medicina ainda usa o método ativo de estudos, e traz a tecnologia como sua aliada.

“Gosto muito de utilizar plataformas on-line de estudos e extrair o máximo o que as aulas práticas podem me oferecer.” Afirma Lucas.

“Embora o curso de medicina seja desgastante, no entanto é recompensador, seja pela sensação de progressão dentro do curso, seja pelas amizades que são feitas lá dentro, é uma experiência incrível.” ressalta Veríssimo.

 

Especialidade,  já sabe?

 

Segundo Lucas, qualquer coisa que não envolva neuro( ele ri), mas considera as áreas de  urgência e emergência, ortopedia, e até saúde da família e comunidade.

Já conferiu as especialidades médicas disponíveis? 

 

Lucas tem um recado para você medaholic!

“É um caminho difícil e duro, mais para uns do que para outros, mas não se esqueça do que fez você querer está lá no final, do que fez você está com o diploma em mãos”

Medicina com TDAH é possível sim!

Como não me sabotar nos estudos?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Ver Todas
Blog

Vem conferir os próximos vestibulares de medicina

Blog

Entenda tudo sobre a redação e tire nota 1000

Blog

Educação como investimento: Por que é importante investir na educação?

Cadastre-se e garanta o melhor guia
para a sua aprovação em medicina