Quando um estudante de medicina começa a trabalhar?

Blog
Reading Time: 3 minutes

Todo estudante de medicina que tá aí vivendo a sua jornada dentro do curso já se preocupou ou se preocupa com o momento em que irá chegar a hora de por a mão na massa, de realmente trabalhar com o que já aprendeu.

Essa etapa do curso é um momento essencial para desenvolver, de forma prática, o aprendizado dos estudantes que estão no final do curso através de um trabalho real, que dentro do curso, é chamado de Internato ou Estágio Final.

A realização da atividade é regulamentada pelo Conselho Nacional de Educação e desenvolvida em unidades de saúde da própria universidade ou de parceiros.

Há quem pense que essa atividade é como um estágio e sim, é, porém, sem toda a parte da remuneração.

Internato em Medicina, essa é a hora?

Internato em Medicina diz respeito a um estágio curricular obrigatório, realizado nos dois últimos períodos do curso. Essa etapa permite que os estudantes adquiram aprendizado prático e cotidiano da profissão ao exercerem atividades em unidades de saúde como hospitais, ambulatórios e clínicas credenciadas à instituição de ensino.

Durante o internato, os estudantes desenvolvem atividades médicas em casos reais. Os internos são autorizados a sugerir soluções, mas não possuem autonomia para tomada de decisões sobre os casos, ainda que em situações aparentemente simples. O parecer final fica ao encargo de médicos e residentes.

A carga horária do internato de Medicina

O número de horas de atividade no internato não pode ultrapassar 40 horas semanais. A definição de como as tarefas serão distribuídas varia e, em geral, engloba ocupações em enfermarias, ambulatórios, estudos teóricos e plantões nas áreas de urgência e emergência. A duração do internato de Medicina é pelo menos 35% da carga horária total do curso.

Inscrições | Vestibular de Medicina Vassouras 2023

Diferença entre internato em Medicina e residência médica

Quem pensa em ingressar no curso pode ter a dúvida sobre a diferença entre o internato em Medicina e a residência médica. Tratam-se de duas etapas distintas. O internato faz parte da graduação em Medicina, já a residência médica é realizada após a formação do curso e quando o médico tem registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) da sua região.

Enquanto no internato o estudante está nos últimos anos do curso de Medicina, na residência o médico participa de uma pós-graduação na forma de especialização. Outra diferença é que internato é uma etapa obrigatória desde 1969 para a formação médica.

Conheça as melhores escolas medica do Brasil | Youtube 

Mas… e se eu estiver no início do curso?

A monitoria acadêmica é uma atividade muito popular entre os estudantes de faculdades aqui no Brasil, que buscam experiência voltada à sala de aula, ou que procuram atividades extracurriculares para dar aquele upgrade no currículo antes de concluir a graduação.

Em suma, o monitor vai estar presente no dia a dia das aulas do curso, auxiliando o professor e os alunos que estiverem fazendo aquela disciplina durante o semestre de monitoria. Logo, estar presente nessas etapas trará conhecimentos de como funciona o processo de aprendizagem em um curso de graduação e vai mostrar um pouco de como é a rotina de um discente na prática.

Ademais, o monitor vai se aprofundar nos conteúdos que ele estudou, enriquecendo seu conhecimento, e ainda é possível receber por isso, sabia? Te explico melhor, mais adiante neste texto.

O que é monitoria acadêmica?

O foco da monitoria acadêmica é melhorar e apoiar o ensino na faculdade, portanto é uma atividade que aproxima o estudante da prática da docência e que tem, inclusive, amparo legal. A Lei 9.394/1996, diz que “os discentes da educação superior poderão ser aproveitados em tarefas de ensino e pesquisa pelas respectivas instituições, exercendo funções de monitoria, de acordo com seu rendimento e seu plano de estudos”.

Invista na sua educação: Saiba como! | MEM

O que faz um monitor?

O monitor é responsável por dar apoio à dinâmica de ensino e aprendizagem de uma disciplina. Se liga em algumas atividades desenvolvidas pelo monitor:

  • Tirar dúvidas dos alunos;
  • Orienta os estudantes ao longo das atividades propostas;
  • Participa de trabalhos e estudos em grupo;
  • Interage com o professor para apresentar o andamento da turma;
  • Aprender como é a rotina acadêmica dos professores.

Qualquer aluno que esteja cursando o ensino superior pode se candidatar à monitoria, caso tenha o desejo de participar dessa experiência, que, segundo especialistas da área, é uma excelente maneira de atuar na vida acadêmica do curso, e no caso dos alunos de medicina, ver na prática algumas matérias específicas, que podem ajudar a decidir sua especialização médica, por exemplo. Boas notas e participação ativa serão seus aliados.

Em suma, ao falar em critérios de seleção, que tal dar uma olhada em mais coisas sobre o curso de medicina da Universidade de Vassouras?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Ver Todas
MEM Responde

Como cursar e quanto custa Medicina na Argentina?

SISU 2022

SISU 2023: quantas vagas para medicina?

Notícias

Sisu 2023: mais de 226 mil vagas disponíveis para consulta

Cadastre-se e garanta o melhor guia
para a sua aprovação em medicina