Previna-se do novo coronavírus!

Blog
Reading Time: 3 minutes
Acompanhar fontes confiáveis sobre o novo coronavírus e seguir as recomendações dos órgãos responsáveis são as melhores alternativas!

Não surte com notícias que você encontra por aí pela internet. Pode ficar tranquilo que existem formas efetivas de evitar a contaminação pelo novo coronavírus, causador da Covid-19. Neste post gente vai ter ajudar a se prevenir e ainda contribuir para o controle desse inimigo invisível.

MAS AFINAL, O QUE É O CORONAVÍRUS?

Segundo o Ministério da Saúde, coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em dezembro do ano de 2019, após casos registrados na China. O vírus causador da doença COVID-19, o novo coronavírus.

E COMO SABEREI QUE ESTOU COM CORONA VÍRUS?

Por assemelhar-se a um gripe comum, o quadro da COVID-19, causado pelo novo coronavírus causa bastante confusão na hora de identificar a doença, o que pode acarretar em muitos problemas para profissionais em unidades de saúde que terão que lidar com unidades lotadas. Mas voltaremos a essa problemática mais a frente neste texto.

Vamos aos sintomas que caracterizam um quadro de COVID-19:

  1. Diarreia;
  2. Febre alta;
  3. Tosse;
  4. Coriza;
  5. Dificuldade de respirar;

 

Muito se fala sobre a forma rápida de propagação do corona e ao ouvir uma tosse as pessoas já entram em estado de pânico. Mas calma!

Alguns detalhes são esquecidos na hora da confusão, como o de que precisa-se estar em meio a um grupo de risco; estar diretamente em contato com fluídos dos contaminados, e mais, os sintomas se assemelham aos de uma gripe comum (incluindo dificuldade na respiração que é a característica que diferencia o quadro de uma para a outra).

Em encontros com o Ministério da Saúde para discutir o controle e formas efetivas de assistência aos suspeitos, o Conselho Federal de Medicina lançou uma séries de medidas e recomendações que têm como objetivo mobilizar órgãos públicos, população e profissionais da saúde, a fim de manter os ânimos controlados.

E ainda chamando atenção para buscar fontes confiáveis na hora de se informar acerca do assunto.

Nas próximas seções do texto, de forma resumida, vocês conferem o que os órgãos estipulam para nós cidadãos, profissionais da saúde e autoridades públicas nas três esferas.

Como as autoridades devem atuar?
  1. Os órgãos públicos responsáveis devem cuidar para que seus serviços de vigilância epidemiológica e sanitária melhorem e ampliem seus serviços para evitar que novos casos de COVID-19 surjam;
  2. Lançar campanhas que esclareçam as dúvidas mais recorrentes e conscientizem a população;
  3. Garantia de acesso a exames e atendimento com equipes preparadas e a disposição pelas autoridades sanitárias;
E os profissionais da saúde, como devem atuar?
  1. Sendo ele de qualquer área, tem a responsabilidade de contribuir na educação da população sobre a doença;
  2. Educar a população para evitar pânico e tomar as medidas necessárias para possíveis vítimas do vírus e encaminhar para um hospital, de rede pública ou privada, possibilitando o atendimento;
  3. Em seguida, devem reportar às autoridades públicas qualquer tipo de necessidade para atender as demandas da população durante o atendimento, bem como equipamentos e afins.
E nós, como devemos agir?
  1. Ficar atento aos canais de autoridades públicas sobre o esforço de prevenção contra a Covid-19;
  2. Manter boas práticas de higiene básica como:
  • lavar as mãos regularmente e com sabão;.
  • Na ausência de sabão ou desinfetante, álcool em gel pode auxiliar;
  • Evitar passar as mãos nas mucosas sem higienização correta;
  • Evitar estar no mesmo ambiente que um grupo de risco;
  • Manter-se confinando em casa quando estiver doente, evitando a contaminação de outros (quarentena);
  • Cobrir boca, nariz quando espirrar ou tossir com a dobra do braço ou máscara;
  • Limpar com desinfetante superfícies tocadas com frequência;
Os médicos também precisam se prevenir, né?
  1. Usar máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção ao entrar em contato com gotículas ou qualquer tipo de contato;
  2. Uso de máscara N95 durante procedimento de aerossolização de secreções respiratórias;
  3. É também fundamental compartilhar informações de fontes confiáveis, disponíveis nos sites do Ministério da Saúde, de Secretarias de Saúde, de entidades médicas e veículos da imprensa;

Nota ao leitor: Não devem ser repassadas notícias falsas, mesmo aquelas aparentemente cômicas e inofensivas, a fim de evitar pânico e que todas as ações possam ter efetividade na redução de casos e salvar o maior número de vidas.

Dito isto, a maior recomendação dos gestores locais (de estados e municípios) é a quarentena em caso de contato com pessoas que estiveram no exterior ou indício de algum vetor em locais públicos ou de trabalho.

Neste momento, é importante manter a calma para que o sistema de saúde não congestione e consiga comportar os casos mais graves em grupos de riscos, como idosos e pessoas de baixa imunidade, e claro, prevenir-se antes do pior (e isso não serve apenas para o individual, mas para o coletivo). Por isso, a quarentena é a forma mais responsável de conter o contágio seu e de outrem.

O Ministério da Saúde recomenda que em caso de qualquer suspeita, sejam acionados órgãos locais capazes de detectar, através de exames, e tratar o quadro da maneira devida, encaminhando para profissionais especializados em hospitais preparados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Ver Todas
MEM Responde

Qual o valor do curso de Medicina em Goiás?

Blog

História do Aprovado: Universidade Federal de Sergipe – Campus Lagarto

Blog

Saúde Mental e Estudos: como não se cobrar demais

Quer o MEM na palma da mão?