Um conto médico natalino: como atuam os profissionais plantonistas no natal?

Blog
Reading Time: 3 minutes

 Ceia, vinho, amigos e familiares juntos ao redor da árvore de natal. 

Essa é a cena que se repete todos os anos para milhares de brasileiros. Porém, para alguns deles, as festividades de fim de ano são um tanto quanto diferentes. Os que precisam trabalhar na véspera de natal, não tem alternativa senão comemorar de outro jeito com os colegas de trabalho.

Isto porque enquanto a maioria das pessoas se reunirá, na noite de 24 de dezembro, para celebrar o Natal e trocar presentes, alguns profissionais, como médicos, enfermeiros, bombeiros, estarão dando plantão com objetivo de salvar vidas, fazendo a diferença e realizando pequenos milagres de natal. Quer saber como é a rotina dos profissionais médicos durante esse feriado? Confira a matéria!       

Uma ceia de natal inusitada

Imagine uma ceia de Natal no IML… a ideia parece absurda, mas esta é a realidade de vários médicos legistas durante todos os anos.  Todo dia 24 de dezembro, vários plantonistas – médicos, auxiliares, fotógrafos e digitadores – se reúnem para a tradicional ceia de natal. 

Pode parecer estranho, mas faz parte da rotina desses profissionais, que possuem uma  exaustiva rotina no feriado, onde podem enfrentar plantões de até 24h! Na madrugada da véspera de natal, a frequência de trabalho é maior, já na manhã do dia 25, o trabalho continua.   

Para não deixar o natal passar em branco, Miriam, médica legista que já enfrentou vários plantões natalinos, disse que assim que fica sabendo da sua escala, se reúne com outros colegas para decidirem o que cada um vai levar para ceia – explicou em entrevista para o G1.

O lugar? Nem tão convencional assim: o necrotério. Curioso, né?! Bem, não deixa de ser uma celebração, a grande diferença é o local. A escolha é pelo caminho mais prático, lá, no necrotério, está localizado um complexo com várias salas, é também onde fica a maior e melhor cozinha do Instituto Médico Legal. Assim, todos os anos, os colegas se organizam para levar comida e se juntam durante um momento mais tranquilo para todos. 

Um Segundo lar, uma segunda família 


Não muito diferente do que acontece no IML, nos hospitais, os médicos plantonistas também realizam suas ceias de natal. Em vários deles, a comida é fornecida pela própria direção do local, porém, os funcionários também se dividem para levar um prato especial.

Muitas vezes, a ceia é tão conturbada quanto o plantão, é bastante comum que haja várias interrupções no meio da celebração. Existe sempre aquele médico que nem consegue parar para comer, pois tem que atender uma urgência médica atrás da outra. 

Fato é que nem todos conseguem se reunir no mesmo momento, de modo que vão se revezando para que todos consigam aproveitar pelo menos um pouquinho a celebração natalina.

Luciano, médico intensivista, diz que todo natal é uma mistura de tristeza, alegria e orgulho, também que acredita que é uma data que simboliza a união. Ele lembra o episódio em que atendeu um homem, na noite de natal, com uma hemorragia digestiva. Eles ficaram juntos durante 12 horas e, no final, deu tudo certo. Ele recuperou-se e os dois tornaram-se amigos. Agora, em todo Natal, ele traz algum presente para o médico. 

De acordo com Luciano, as festividades de fim de ano nunca significam plantões tranquilos. Porém, para ele o sacrifício vale a pena, pois percebe o vínculo forte formado entre os profissionais que atuam nessas datas, de modo que se sente em casa, no meio de pessoas queridas. Numa segunda família, num segundo lar.

Gostou do relato? Conta sua experiência pra gente!

P.S: Nossos parabéns a todos aqueles que fazem a diferença.
Feliz Natal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quer o MEM na palma da mão?