Conheça quais são as especialidades médicas e como escolher!

Matérias
Reading Time: 3 minutes

A profissão médica apresenta uma variedade de áreas de atuação. Essa versatilidade proporciona a formação de especialistas, por isso, é preciso conhecer bem as especialidades de olho no futuro profissional.

Neste post vamos tratar sobre esse assunto que é uma grande cobrança já nos primeiros anos do curso de Medicina. Qual área da medicina escolher?

Perfil no Brasil do profissional médico

De acordo com o estudo denominado “Demografia Médica no Brasil 2020”, coordenado pela Faculdade de Medicina da USP em parceria com o Conselho Federal de Medicina, em janeiro de 2020, do total de 478.010 médicos em atividade no Brasil, 61,3% deles possuíam um ou mais títulos de especialista, enquanto 38,7% não tinham título em nenhuma especialidade. 

Em números absolutos, o Brasil conta com 293.064 médicos especialistas e 184.946 generalistas, resultando em uma razão de 1,58 especialista para cada generalista. O estudo Demografia Médica no Brasil considera especialista o médico titulado por uma das duas vias legais de especialização: a conclusão de programa de Residência Médica ou a obtenção de título emitido por uma sociedade de especialidade médica. 

Neste estudo são consideradas as 55 especialidades médicas oficialmente reconhecidas pela Comissão Mista de Especialidades (CME), composta pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNMR), pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB). 

O estudo adota o termo “generalista” para designar todo médico sem título de especialista. Neste grupo estão incluídos todos os médicos que concluíram a graduação, mas não cursaram Residência Médica nem obtiveram título em sociedade médica. O mesmo médico pode ter título em mais de uma especialidade. 

Quais são as especialidades médicas?

A resolução nº 2.221, de 2018, homologa a Portaria CME nº 1/2018, que atualiza a relação de especialidades e áreas de atuação médicas aprovadas pela Comissão Mista de Especialidades.

São 59 áreas da medicina de atuação e 55 especialidades médicas, são elas:

  • Acupuntura
  • Alergia e imunologia
  • Anestesiologia
  • Angiologia
  • Cardiologia
  • Cirurgia cardiovascular
  • Cirurgia da mão
  • Cirurgia de cabeça e pescoço
  • Cirurgia do aparelho digestivo
  • Cirurgia geral
  • Cirurgia oncológica
  • Cirurgia pediátrica
  • Cirurgia plástica
  • Cirurgia torácica
  • Cirurgia vascular
  • Clínica médica
  • Coloproctologia
  • Dermatologia
  • Endocrinologia e metabologia
  • Endoscopia
  • Gastroenterologia
  • Genética médica
  • Geriatria
  • Ginecologia e obstetrícia
  • Hematologia e hemoterapia
  • Homeopatia
  • Infectologia
  • Mastologia
  • Medicina de emergência
  • Medicina de família e comunidade
  • Medicina do trabalho
  • Medicina de tráfego
  • Medicina esportiva
  • Medicina física e reabilitação
  • Medicina intensiva
  • Medicina legal e perícia médica
  • Medicina nuclear
  • Medicina preventiva e social
  • Nefrologia
  • Neurocirurgia
  • Neurologia
  • Nutrologia
  • Oftalmologia
  • Oncologia clínica
  • Ortopedia e traumatologia
  • Otorrinolaringologia
  • Patologia
  • Patologia clínica/medicina laboratorial
  • Pediatria
  • Pneumologia
  • Psiquiatria
  • Radiologia e diagnóstico por imagem
  • Radioterapia
  • Reumatologia
  • Urologia

Especialidades com maior número de médicos

O número de especialistas vem crescendo no Brasil. Do total de médicos em atividade no Brasil, 61,3% têm um ou mais títulos. Esses dados são da pesquisa Demografia Médica 2020. As especialidades com maior número de especialistas são:

  • Clínica Médica (11,3% do total de especialistas);
  • Pediatria (10,1%);
  • Cirurgia Geral (8,9%);
  • Ginecologia e Obstetrícia (7,7%) 

Juntas, essas quatro especialidades concentram 38% do total de especialistas. Duas delas, Clínica Médica e Cirurgia Geral são especialidades obrigatórias (pré-requisitos) para cursar Residência Médica em outras especialidades. Além das quatro especialidades mais frequentes, destacam-se ainda: 

  • Anestesiologia (5,9%);
  • Medicina do Trabalho (4,6%);
  • Ortopedia e Traumatologia (4,1%);
  • Cardiologia (4,1%);
  • Oftalmologia (3,6%);
  • Radiologia e Diagnóstico por Imagem (3,3%). 

Essas seis especialidades, somadas às quatro básicas, representam 63,6% de todos os títulos.

Por ter sido formalizada apenas recentemente, Medicina de Emergência é a especialidade com menor número de titulados: são apenas 52 especialistas.

Onde se concentram a maior parte dos especialistas?

Ainda de acordo com a pesquisa Demografia Médica 2020, todos os estados do Sul e Sudeste, além do Distrito Federal, apresentam maior presença de especialistas. Contrariamente, nos estados do Norte e Nordeste há, em geral, menor presença de especialistas.

Esse padrão só é modificado na especialidade Medicina de Família e Comunidade, em que alguns estados do Norte e Nordeste, Acre e Tocantins, se aproximam das concentrações vistas nos estados do Sul e Sudeste.

Quais as especialidades médicas do futuro?

A Medicina é muito dinâmica e, lógico, acompanha as evoluções tecnológicas. Você já ouviu falar em telemedicina, por exemplo? Pois é, a necessidade física de um Médico já está sendo substituída pela praticidade que a internet proporciona.

São mudanças que mexem com a rotina médica, portanto, as especialidades do futuro são aquelas que melhor se adaptam a esses novos tempos. Porque isso é importante? Principalmente, para o estudante de Medicina que está construindo seu futuro profissional, ficar de olho nessas especialidades é fundamental.  

O maior uso de tecnologias como robótica, genômica e inteligência artificial inspira diferentes previsões para a evolução das especialidades médicas. Apresentamos as especialidades que vão se beneficiar bastante com a evolução tecnológica:

  • Clinica Geral;
  • Oncologia;
  • Radiologia;
  • Medicina do Esporte;
  • Dermatologia;
  • Oftalmologia;
  • Ortopedia.

Veja também

Ver Todas
Matérias

Pipoca e controle na mão que vai começar o MEDFLIX

Notícias

Faculdade Pitágoras de Medicina oferta bolsas de estudo pela nota Enem

Notícias

UnirG divulga vestibular de medicina para 2022

Quer o MEM na palma da mão?