Como estudar Medicina e pagar depois?

MEM Responde
Reading Time: 3 minutes

Você tem o sonho de ingressar numa Escola Médica, mas está preocupado em não conseguir fazer todo o investimento necessário em seu curso? Fica tranquilo que neste post o MEM responde mostra que com planejamento você pode conseguir encontrar a solução ideal para estudar Medicina e pagar depois.

A Medicina é uma profissão tradicional, prestigiada, super relevante na sociedade, bem remunerada e com ótima empregabilidade. Não é à toa que esse é um dos cursos com maior concorrência nos vestibulares em todo o país.

Para garantir seu tão sonhado diploma, você terá que reservar uns bons anos para os estudos, e se optar por uma Faculdade particular, também um montante considerável de recursos para arcar com o investimento da mensalidade e dos materiais essenciais durante a graduação.

A boa notícia é que existem maneiras de estudar Medicina e pagar depois. Uma das mais abrangentes é o financiamento estudantil. A seguir eu vou te apresentar as modalidades disponíveis no país e como você pode ter acesso a cada uma delas.

Estudar Medicina e pagar depois

Se realmente fizer a opção pelo financiamento, pesquise em diversas instituições financeiras e compare as condições para escolher o financiamento mais vantajoso antes de fechar o contrato. Para te ajudar, veja esse guia prático que eu elaborei com as principais opções disponíveis no país.

Santander – Financiamento Estudantil Graduação Saúde do banco Santander, que oferece condições personalizadas para alunos da área. A linha de crédito é disponibilizada por período letivo. O crédito do Santander é liberado para alunos a partir da 4ª mensalidade. O valor financiado é enviado para a universidade em uma única parcela. Já o estudante terá o dobro do tempo do curso para efetuar o pagamento em parcelas que são debitadas direto da conta. Ahh, atualmente, o banco possui uma taxa a partir de 1,39% ao mês.

Itaú – O Pravaler é a maior instituição privada voltada para a intermediação de financiamento estudantil através da parceria com a instituição bancária. Todo o processo é online. A contratação é semestral e pode ser feita a qualquer momento do seu curso. Para solicitar o crédito para a graduação de Medicina, é necessário ter um fiador, comprovar renda de 2,2 vezes o valor do curso (pode ser a renda do fiador, caso o solicitante não tenha renda própria) e não ter restrições na documentação.

FundaCred – O crédito educacional para Medicina da Fundacred tem a menor taxa do segmento. Para solicitar o CredIESMed, primeiro você deve verificar a disponibilidade na instituição de ensino desejada. A consulta pode ser feita na página de simulação de crédito. Algumas instituições permitem indicar até dois fiadores, que podem ser casados ou conviventes entre si. Atualmente, a taxa administrativa da Fundacred é de 0,19% ao mês. Ah, não são cobrados juros remuneratórios, isso porque a fundação trabalha com um sistema de retroalimentação que é mantido pelos estudantes concluintes que estão em fase de restituição.

Fies – O programa do Governo Federal tem como finalidade facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas, como Medicina.

Criado em 1999, ele é ofertado em duas modalidades desde 2018, por meio do Fies e do Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies). O primeiro é operado pelo Governo Federal, sem incidência de juros, para estudantes que têm renda familiar de até três salários mínimos por pessoa. O percentual máximo do valor do curso financiado é definido de acordo com a renda familiar e os encargos educacionais cobrados pelas instituições de ensino.

O P-Fies funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes, o que implica cobrança de juros.

Conheça as principais regras do FIES:

-ser de nacionalidade brasileira;
-pode ser graduado ou não;
-deve ter alcançado uma pontuação superior a 450 pontos no Enem;
-não pode ter zerado a redação do Enem.

A nota de corte do FIES para Medicina ficou na faixa de 720 a 830 pontos, considerando a edição mais recente do Enem. Entender esse conceito é muito simples: é a menor pontuação que conseguiu entrar no número de vagas para um curso.

O que você achou dessas alternativas para estudar Medicina e pagar depois? Deixe um comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Ver Todas
Blog

Faculdade de medicina: Como escolher a melhor para você?

Blog

Vestibular de Medicina: Inscrições abertas no Norte

Blog

Passei em medicina, como organizar o bolso?

Cadastre-se e garanta o melhor guia
para a sua aprovação em medicina