Como se adaptar ao PBL?

MEM Responde
Reading Time: 2 minutes

Considerado um modelo de aprendizagem ativo, o PBL – ou Aprendizagem Baseada em Problemas – possui uma abordagem bastante diferente dos modelos que são aplicados ao longo da nossa vida educacional e até mesmo na grande maioria dos cursos de graduação. Por isso, se você já está na Jornada Médica, o MEM responde vai te explicar como se adaptar ao PBL.

A grande maioria dos alunos cresce estudando por um método tradicional. Nesse sentido, ele pode ter dificuldades para se adequar a um método de ensino em que o aprendizado é autodirigido. Existem casos, em que os estudantes podem não conseguir se adaptar e chegam a abandonar a universidade, à procura de outra instituição de ensino que ofereça o método tradicional. Mas esse não precisa ser o seu caso, meu caro medaholic.

Pra começo de conversa, bora refrescar a mente sobre o que é o método PBL:

Ele é uma prática pedagógica empregada em muitas Escolas Médicas brasileiras desde a década de 90. Ela inclui a apresentação de um problema para um pequeno grupo, que iniciará uma discussão durante algumas sessões. Um tutor dá suporte e orientação aos alunos. A discussão é estruturada para permitir ao aluno criar modelos conceituais para explicar o problema, tendo a possibilidade de compartilhar suas descobertas.

Essa metodologia ativa faz com que o aluno viva a Medicina desde o início do curso com atividades práticas e busque seu próprio conhecimento.

Descubra como se adaptar ao PBL

A grande vantagem do método PBL é que o conhecimento é absorvido no mesmo contexto em que será aplicado. Ou seja, ele permite dar consequência prática aquilo que se aprende.

O método PBL não é, entretanto, uma panaceia. Ele requer organização e dedicação, aperfeiçoamento constante e supervisão criativa. Muitas funções do currículo tradicional permanecem no PBL, a exemplo de estágios, atividades práticas e todos os docentes de todas as especialidades são necessários para o bom desenvolvimento desta modalidade de currículo.

Definitivamente, o método PBL tira o aluno da zona de conforto, pois demanda bastante estudo individual (2 vezes por semana, na maioria das escolas médicas), um extenso trabalho de pesquisa, e a cooperação entre os estudantes, que protagonizam a aprendizagem.

Atenção: PBL não é ensino a distância

Para se adaptar ao método PBL você vai precisar de disciplina para manter a sua rotina de estudos. É preciso ter um cronograma diário, para que você organize o conteúdo que deve ser estudado, mesmo quando não estiver na faculdade. Estabeleça metas, realistas e que sejam possíveis de serem alcançadas dentro do seu contexto.

Por exemplo, estabeleça uma quantidade de conteúdos a serem estudados por dia de acordo com a demanda da unidade de problema que está sendo trabalhada. Dessa forma, você vai conseguir visualizar melhor tudo que já estudou e quais conteúdos ainda precisa estudar.

Anota essa dica de ouro: tudo que não é revisado, é esquecido. Você pode, por exemplo, reservar 30 minutinhos para fazer a simulação da mesa de conferência oral por dia. Eles farão muita diferença!

7 passos do método PBL:

-leia o caso e esclareça termos difíceis
-liste os problemas
-discuta os problemas (brainstorming)
-resuma
-formule objetivos de aprendizado
-busque informações
-retorne ao caso e integre as informações à resolução dele

E aí? Entendeu como se adaptar à metodologia do PBL? Comente aqui o que você acha desse método, curta e compartilhe este post, medaholic!

Saiba mais:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Ver Todas
Notícias

Neuralink e a medicina

Blog

Desistir não é uma opção

Notícias

Vestibular da Fuvest 2023 sofre mudanças pela USP

Quero saber tudo do mundo Med!