Pandemia: Será que vivemos uma nova era geológica?

Blog
Reading Time: 2 minutes

É comum ler por aí que a pandemia de Covid-19 pegou o mundo de surpresa. A ideia é sedutora, uma vez que nos exime de certa responsabilidade, mas só em parte verdadeira.

Claro, quase ninguém apostaria no Corona vírus como futuro de grande problema da humanidade, apesar dos sustos provocados por seus parentes Sars e Mers em 2003 e 2012. Mas surtos assustadores de doenças, assim como o surgimento de novos patógenos, são um fenômeno natural na nossa história. E uma ameaça em ascensão há pelo menos duas décadas.

Presságios. . .

Em seu livro escrito em 2012, “Contagio”, o escritor de ciências, o americano David Quammen, já examinava uma série de epidemias recentes e lançava suposições sobre o que estava por vir.

Suas indagações foram proféticas! “A Próxima Grande Pandemia será causada por um vírus? Sairá de uma floresta pluvial ou de um mercado no sul da China? Matará 20 ou 30 milhões de pessoas?”, escreveu.

Menos de 10 anos depois, não é preciso ser um virologista para responder às perguntas feitas por Quammen. Sim, chegou um vírus. Se não de um mercado, de algum lugar do centro da China. E vitimou, até agora, 6 milhões de pessoas.

A maior preocupação, é a mutação desses vírus, na verdade, a velocidade dela, e o fato de não conhecer exatamente como ele afeta as pessoas, mesmo depois de tantas mortes, e sequelas.

Comparando a velocidade evolutiva do corona vírus, em um hospedeiro mamífero, será algo como um ônibus espacial e uma tartaruga apostando corrida. O caso da varíola dos macacos, que vem deixando o mundo em alerta, é ilustrativo.

O que entender sobre vírus nos dias de hoje

Sejam bem-vindos ao Pandemiceno

Antes de tudo, o “Pandemiceno” é considerado uma nova era geológica da terra, se caracterizando por ser a era de aumento da temperatura média do planeta, e o surgimento de novos vírus de potenciais desconhecidos, que podem causar novas epidemias na humanidade, tudo isso ligado ao aquecimento global. E juro, não é fakenews.

Após estudos feitos na Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, foi constatado que mesmo se o aquecimento global for contido, nas próximas décadas haverá mais de 300 mil primeiros encontros entre animais que não se esbarravam antes.

Isso levará pelo menos 15 mil spillovers, termo em inglês para o salto interespécies que os vírus são capazes de fazer.

Por que o momento é tão propício a novas epidemias?

  • Hoje em dia, é muito mais fácil viajar de avião e ter acesso a novos pontos transmissivos;
  • Os vírus ficam incubados por 14 dias, tempo suficiente para que viajem sem ser detectado;
  • Muitas grandes cidades comportam aglomerações e são mal planejadas e desiguais, facilitando a propagação de patógenos;
  • Mudanças climáticas aumentarão em 4 mil vezes a transmissão de vírus entre espécies;
  • E esse dado só considera os mamíferos;
  • Entre 60 e 70% das doenças infecciosas vêm dos animais, sejam de rebanho, silvestres ou domésticos. São as chamadas zoonoses.

Fonte: Veja Saúde

Já parou para pensar nesses fatores que podem causar esse aumento no dia a dia? fique por dentro desse e de mais assuntos no nosso portal e no nosso canal do YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Ver Todas
Blog

Vem conferir os próximos vestibulares de medicina

Blog

Entenda tudo sobre a redação e tire nota 1000

Blog

Educação como investimento: Por que é importante investir na educação?

Cadastre-se e garanta o melhor guia
para a sua aprovação em medicina