Vamos entender sobre o ensino PBL?

Blog
Reading Time: 4 minutes

Olá, medaholic! Você sabia que existem diversas metodologias de ensino de medicina no Brasil? Dentro das diversas metodologias, existem duas que podemos considerar as principais pelo Brasil: a metodologia tradicional e o método PBL, que são utilizadas pelas principais instituições de ensino do Brasil.

Contudo, o método PBL se tornou predominante nas faculdades de medicina após as mudanças curriculares que incorporaram estudos multidisciplinares ao invés das disciplinas específicas.

No nordeste existem várias faculdades de medicina que utilizam essa metodologia, podemos citar a Universidade Tiradentes, uma das mais tradicionais no ensino, e utiliza o PBL como método de ensino, dentre outras metodologias ativas, em que o estudante é o protagonista na construção do seu conhecimento, fortalecido por uma estrutura acadêmica de referência nos estados de Sergipe,  Alagoas e Pernambuco

 

Existe vestibular unificado englobando os polos da Universidade Tiradentes.

Para se inscrever no vestibular de medicina é só clicar AQUI e conquistar o seu sonho de ser MED!

 

Método PBL

O método tradicional é bastante encontrado nas instituições e é a metodologia mais antiga para ensino, contudo, atualmente existem instituições que substituíram esse método pelo PBL (Problem Based Learning),  que traduzindo para o português significa Aprendizado Baseado em Problemas, uma metodologia que quebrou o paradigma da aula tradicional.

O PBL coloca o aluno, e não o professor, no centro do processo de aprendizado. E muda a relação entre teoria e prática, que no ensino tradicional costumavam andar separadas.

Esse método propõe a realização de atividades guiadas a partir de um problema apresentado pelos professores.

Os alunos de determinado período do curso se reúnem em grupos e interagem entre si buscando a resolução do problema apresentado, utilizando fontes indicadas, a partir do tópico escolhido pelo professor.

Como funciona o método PBL?

Na aprendizagem tradicional, o caminho normalmente é seguido em três passos: transmissão do conteúdo pelo professor; memorização; oferta de um problema que aplique este conteúdo.

No entanto, no  PBL, em vez da primeira etapa ser constituída pela transmissão do conteúdo, o professor oferece um problema.

Na segunda, você aluno, deve identificar qual conteúdo precisa aprender para resolver essa questão.

Na terceira, você estuda e aplica o que foi aprendido na resolução do problema. 

A função do professor no método PBL é atuar como facilitador de discussões, e não transmissor do conhecimento. 

O professor já não é o centralizador do conhecimento, ele não vai direcionar os alunos a um caminho específico, mas oferecer suporte para que o aluno encontre esse caminho por conta própria.

PBL na prática

As Faculdades de Medicina que implementaram o método PBL costumam oferecer semanas de laboratório, tutoria, conferência e consultoria. 

Laboratório 

De uma a duas vezes por semana, os professores de várias disciplinas se reúnem para dar aulas em conjunto, abordando um problema através do ponto de vista de cada uma delas. As aulas de ciências básicas de bioquímica, biofísica, biologia, histologia, por exemplo, vão acontecer por aqui.

Tutoria 

O professor passa o caso no inicio da semana, e você tem um determinado tempo para pesquisar sobre e apresentar um diagnóstico.

Conferência

É o que mais se aproxima de uma aula tradicional, depois da tutoria, você vai discutir o tema do caso clinico, e é abordado de uma maneira mais aprofundada pelo professor. 

Consultoria

São reuniões onde você ou seus colegas de turma, apresentam aos professores de diversas disciplinas suas dúvidas a respeito do assunto da semana. É o famoso plantão do tira dúvida.

 

PBL X TRADICIONAL 

Embora o ensino tradicional ainda seja aplicado em algumas faculdades, o método PBL apresenta diversas vantagens. Por exemplo:

Estimular a autonomia, a curiosidade e o autodidatismo do aluno são os principais objetivos aqui. É a base do PBL.

Além disso, ele promove a integração entre as diversas disciplinas da medicina, o que ajuda na resolução de casos clínicos desde o início da faculdade, principalmente para quem passou em medicina e já quer “colocar a mão na massa”

Mas calma, não significa que você vai sair por aqui com bisturi na mão, calma medaholic!

Vale ressaltar que esse contato com casos clínicos constituem uma boa base para uma prova de residência. Quanto mais contato o aluno tiver com eles, melhor.

 

Nem tudo são flores

No entanto, como todo método de ensino, o PBL tem algumas desvantagens. Se você é do tipo de aluno que tem dificuldade em realizar atividades em grupo, ou não tem disciplina para estudar assuntos por conta própria, sem a orientação prévia de um professor, podem ser uma questão.

O estudante de medicina Roni Carvalho, antes de passar em medicina, cursava Odontologia em outra universidade que tem o método de ensino tradicional, quando ele começou a estudar medicina na Unit SE, sentiu um pouco dessa transição.

Demorou pra me acostumar, embora ainda prefira o ensino tradicional. A maioria das aulas que temos é prática, com foco no estudo teórico extraclasse. Estudamos muito a teoria em casa para usar em sala e na prática. A carga horária e o volume de estudos é grande.” ressalta Roni.

É um método que geralmente exige mais esforço, contudo, se bem aplicado, pode apresentar melhores resultados. Por isso fique atento qual melhor metodologia você se adequa.

5 dicas para entender melhor o PBL

Entenda o caso

 Caso apareçam conceitos que não conhece, procure entender primeiro, anote suas dúvidas ao longo do estudo, e depois esclareça com os professores nas consultorias.

Traga ao foco os problemas

Olha a organização medaholic! Faça uma lista com todos os problemas relativos ao caso exposto em aula. Dessa forma você se organiza e pode resolvê-los um a um;

Estude em grupo

Reúna-se  com seus colegas, discutam os problemas listados no caso clínico, você pode ter uma perspectiva diferente dos colegas e vice e versa, essa troca é essencial para que o PBL funcione. 

Fontes

Conceito esclarecido? Ótimo! Agora é hora de ir para os livros, eles trarão os conceitos, os sinais e sintomas, a fisiopatologia, a apresentação das doenças e seus tratamentos;

Integre tudo e retorne ao caso

Conseguiu resolver o problema? Depois das discussões, aprendizado e resolução de dúvidas, você vai fazer um resumo de tudo que aprendeu e vai aplicar a resolução do seu caso clínico.

Em suma, discuta os resultados com seus colegas e professores, é uma ótima maneira de ficar o conteúdo e saber qual método utilizado mais se adequa a você. 

Como passar em medicina?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Ver Todas
MEM Responde

Como cursar e quanto custa Medicina na Argentina?

SISU 2022

SISU 2023: quantas vagas para medicina?

Notícias

Sisu 2023: mais de 226 mil vagas disponíveis para consulta

Cadastre-se e garanta o melhor guia
para a sua aprovação em medicina