Quero cursar Medicina, mas não tenho dinheiro: saiba o que fazer

MEM Responde
Reading Time: 3 minutes

A Medicina continua sendo uma das profissões mais escolhidas pelos brasileiros, mas na hora de ingressar em uma Escola Médica, muitos deles acabam se deparando com o seguinte dilema: “Quero cursar medicina, mas não tenho dinheiro”. Se você faz parte deste grupo, está no lugar certo.

Não custa lembrar que o valor mais elevado da graduação de Medicina ocorre porque as instituições de ensino precisam de uma estrutura complexa para garantir a qualidade da formação dos alunos e o acesso pleno aos recursos técnicos e didáticos mais avançados da área.

Ainda que existam diversas universidades públicas com ampla concorrência para o curso de Medicina, fazer a graduação em uma faculdade particular pode ser uma excelente alternativa não somente por questões logísticas e estruturais, mas também para que você consiga se formar em uma instituição que possua um plano pedagógico mais alinhado aos objetivos que você almeja alcançar quando estiver atuando no mercado.

‘Quero cursar Medicina, mas não tenho dinheiro’

Como sabemos que trata-se de um investimento elevado, embora tenha boas perspectivas de retorno. Por isso, o financiamento estudantil pode ser uma verdadeira mão na roda se você quer cursar Medicina, mas ainda não dispõe de todos os recursos disponíveis.

Há diversas opções de financiamentos estudantis que possibilitam ao estudante fazer a graduação sem passar sufoco financeiro. Existem dois tipos de financiamento estudantil para a graduação, podendo ser privados ou bolsas do Governo Federal.

Como toda linha de crédito, os financiamentos estudantis têm correções monetárias, juros e taxas administrativas. Só que eles podem ser vantajosos porque além de alíquotas mais atrativas, costumam ter prazos mais longos para quitação do empréstimo junto à instituição bancária.

Você pode financiar o valor integral ou parcial das mensalidades do curso, de acordo com a sua condição financeira. Leve em conta também que os empréstimos privados não dependem da comprovação de baixa renda, nem da nota do Enem.

Confira dicas para organizar as finanças e pagar a sua faculdade de Medicina.

Financiamento para cursar Medicina

Santander – Financiamento Estudantil Graduação Saúde do banco Santander, que oferece condições personalizadas para alunos da área. A linha de crédito é disponibilizada por período letivo. O crédito do Santander é liberado para alunos a partir da 4ª mensalidade. O valor financiado é enviado para a universidade em uma única parcela. Já o estudante terá o dobro do tempo do curso para efetuar o pagamento em parcelas que são debitadas direto da conta. Ahh, atualmente, o banco possui uma taxa a partir de 1,39% ao mês.

Itaú – O Pravaler é a maior instituição privada voltada para a intermediação de financiamento estudantil através da parceria com a instituição bancária. Todo o processo é online. A contratação é semestral e pode ser feita a qualquer momento do seu curso. Para solicitar o crédito para a graduação de Medicina, é necessário ter um fiador, comprovar renda de 2,2 vezes o valor do curso (pode ser a renda do fiador, caso o solicitante não tenha renda própria) e não ter restrições na documentação.

FundaCred – O crédito educacional para Medicina da Fundacred tem a menor taxa do segmento. Para solicitar o CredIESMed, primeiro você deve verificar a disponibilidade na instituição de ensino desejada. A consulta pode ser feita na página de simulação de crédito. Algumas instituições permitem indicar até dois fiadores, que podem ser casados ou conviventes entre si. Atualmente, a taxa administrativa da Fundacred é de 0,19% ao mês. Ah, não são cobrados juros remuneratórios, isso porque a fundação trabalha com um sistema de retroalimentação que é mantido pelos estudantes concluintes que estão em fase de restituição.

Fies – Eu já te contei que o Fies é uma das possibilidades de financiamento para arcar com os custos da sua faculdade particular de Medicina através do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. É possível participar do Fies com a nota de qualquer Enem feito a partir de 2010. Para se inscrever, o programa exige a nota mínima de 450 pontos na média da prova e o estudante não pode ter zerado a redação. O Fies tem duas modalidades, se liga: A primeira oferece vagas com juros zero para os estudantes com renda mensal familiar de até três salários mínimos. A segunda é chamada P-Fies, que é direcionada para os estudantes que têm renda mensal familiar de até cinco salários mínimos.

Agora que você já sabe que existem alternativas para quem deseja cursar Medicina, mas não tem dinheiro, que tal conferir mais conteúdos que vão te ajudar a realizar o seu sonho de ser médico? Acesse o canal do Melhores Escolas Médicas no youtube.

BAIXE NOSSO EBOOK COM TUDO SOBRE FINANCIAMENTO PARA O CURSO DE MEDICINA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Ver Todas
Notícias

Neuralink e a medicina

Blog

Desistir não é uma opção

Notícias

Vestibular da Fuvest 2023 sofre mudanças pela USP

Quero saber tudo do mundo Med!