Enem: Entenda o racismo no tema da redação

Blog
Reading Time: 3 minutes

O racismo é uma ferida enorme que, apesar do tempo, não cicatriza. Esse tipo de preconceito se dá de várias formas diferentes e só quem vive na pele é capaz de entender 100% a imensidão desse problema. Entenda o contexto geral para falar sobre o racismo no tema da redação.

 

É importante atentar que racismo, discriminação e preconceito são diferentes.

O preconceito é um julgamento sem noção de causa, ou seja, quando se julga algo sem conhecer. A discriminação é uma forma de diferenciar, tratar alguém de forma diferente por diversos motivos. Já o racismo abrange o preconceito e a discriminação que são motivadas pela cor da pele ou origem étnica.

As origens do que conhecemos como preconceito racial foi construída ao longo dos séculos XVI e XVII, com a expansão marítima e comercial dos europeus e a colonização do continente americano. A partir desse período foram  intensificadas e ficam  marcadas na história a escravização dos africanos e o genocídio de povos indígenas.

 

Para justificar essas ações consideradas ‘conquistadoras’, os europeus começaram a instituir teorias baseadas em uma ideia de que havia uma hierarquia das raças. Segundo essa tese, brancos estariam no topo dessa supremacia, seguidos pelos asiáticos, indianos, indígenas e negros.

No início do Sec 19, muitos paises haviam abolido a escravidão, mas isso não significava que o racismos tinha acabado. O discurso agora ganhava um viés “científico” para justificar a superioridade branca

 

Em 1853 foi lançado o livro “Ensaio sobre a desigualdade das raças humanas”, do filósofo Arthur de Gobineau. Esse livro era base de um estudo chamado de ‘craniometria’, em que medidas de crânios das diferentes raças eram comparadas com outros dados de origem social, para justificar que as populações negras estavam mais propensas a cometer ações violentas. Tudo isso desconsiderando que a violência é um fenômeno social e não genético, tornando evidente a “ciência” tendenciosa da sociedade racista.

 

Alemanha Nazista

As teorias de supremacia racial foram amplamente difundidas durante o período de governo nazista na Alemanha. Seitas como a Ku Klux Klan, nos Estados Unidos, defendiam abertamente a supremacia da raça branca. Diversas ações discriminatórias, intimidatórias e violentas foram praticadas contra negros, culminando com um sistema de separação dos serviços públicos prestados a negros e a brancos.

Apartheid

O Apartheid foi uma política de segregação racial implantada na África do Sul e durou de 1948 a 1994.  Essa política privilegiava a elite branca do país e excluía os negros dos espaços públicos, da educação e postos de trabalho. O regime acabou por causa da pressão internacional, dos protestos internos e da liderança de Nelson Mandela.

Escravidão no Brasil

No Brasil, o racismo é demonstrado por três séculos de escravidão. Entre 1501 e 1870, mais de 12,5 milhões de africanos foram vendidos como escravos e transportados para o continente americano. Desses, 1 em cada 4 eram enviados para o Brasil, cerca de 4,8 milhões até a segunda metade do século XIX. O Brasil foi o maior território escravista do hemisfério ocidental, foi o último a extinguir o tráfico negreiro – com a Lei Eusébio de Queirós em 1850 – e também o último a abolir a escravidão, que ocorreu por meio da Lei Áurea, em 1888.

Esses são alguns topicos que você pode referenciar para falar sobre racismo no tema da redação

 

Vertentes do Racismo

O racismo é um problema bastante complexo. Esse problema muitas vezes pode acontecer de maneiras óbvias como também podem acontecer das formas mais sutis.

 

Intolerância religiosa

A discriminação também atinge as religiões de matriz africana cultadas no Brasil. Agressões físicas e verbais a integrantes das religiões, destruição de terreiros, queima de imagens sagradas têm sido frequentes nos noticiários, e os números de denúncias crescem a cada ano.

De acordo com dados do Disque 100, serviço de proteção dos direitos humanos, somente no primeiro semestre de 2019 foram registradas 354 denúncias, ou seja, um aumento de 67,7% ao comparar com o mesmo período do ano anterior.

 

Formas de Racismo

O racismo não se manifesta de uma única forma. Ele pode está intrínseco em diversas ações e se apresenta, principalmente, de três formas:

 

  • Crime de ódio ou discriminação racial direta – é a forma mais evidente. As pessoas são difamadas, sofrem violência ou deixam de ter acesso a algum tipo de lugar e serviço por causa da cor;

 

  • Racismo institucional – é uma discriminação menos evidente que ocorre em meios institucionais contra as pessoas por causa da sua cor. São exemplos dessa prática abordagens policiais diferenciadas para negros, sem justificativa. O caso envolvendo o negro americano George Floyd, morto asfixiado em uma abordagem policial, desencadeou um movimento mundial contra o racismo chamado “Black Lives Matter” (vidas negras importam), em 2020.

 

  • Racismo estrutural – Ainda menos perceptível, o racismo está solidificado na cultura de um povo que, às vezes, nem parece racismo. A presença do racismo pode ser identificada no mercado de trabalho, por exemplo, onde há uma quantidade bem inferior de negros em cargos de chefia em grandes empresas.

 

Entendeu esses termos? Confira algumas dicas para arrasar na hora de fazer a redação?

Como estudar redação para o Enem→

 

E aí? Conseguiu se situar em meio a esse grande problema? Não deixe de ler bastante coisa sobre o assunto para arrasar em qualquer prova. 

Quer conferir masi temas relevantes?

VEJA MAIS TEMAS DE REDAÇÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quer o MEM na palma da mão?