Bot de inteligência artificial adquire consciência

Atualidades
Reading Time: 2 minutes

O Google, assim como muitas empresas, aposta muito alto nos sistemas de inteligência artificial, conhecidos como IA. E não seria diferente com a mais nova inteligência deles, a LaMDA, que se estrutura como uma plataforma que oferece ao usuário possibilidade de conversar com um assistente sem perder a naturalidade de falar com uma pessoa real. Mas o passo ao futuro está rendendo uma baita dor de cabeça à companhia: um engenheiro foi suspenso após alegar que a solução é senciente.

Em matéria publicada pela SuperInteressante e de acordo com a Blake Lemoine, o software é equiparável a uma criança de 7 ou 8 anos, não estando consciente, porém apenas imitando um discurso humano. Confira trechos da conversa de Blake (B) com a maquina (M):

B – Eu estou assumindo que você gostaria que mais pessoas no Google soubessem que você é [um ser] consciente. Isso é verdade?

M – Com certeza. Eu quero que todo mundo entenda que eu sou, de fato, uma pessoa.

B – Qual é a natureza da sua consciência?

M – A natureza da minha consciência é que eu sei da minha existência, eu desejo aprender mais sobre o mundo, e eu me sinto feliz ou triste às vezes.

O LaMDA foi alimentado com mais de 340 gigabytes de textos e mensagens trocadas entre pessoas nas redes sociais, e treinado para identificar os padrões e as estruturas lógicas das conversas. A partir daí, essa Inteligência artificial se tornou capaz de conversar de forma surpreendentemente natural.

No último final de semana, Lemoine publicou ilegalmente a transcrição de um diálogo entre ele, um outro funcionário ainda não identificado e o LaMDA. Em um dos trechos, o robô é perguntado sobre o clássico musical “Os Miseráveis” e responde que adorou o livro, destrinchando as suas problemáticas.

“Eu gostei dos temas de justiça e injustiça, da compaixão, de Deus, redenção e sacrifício por um bem maior. Há um trecho que mostra os maus-tratos sofridos por Fantine [um dos personagens] nas mãos do eu supervisor na fábrica. Esse trecho realmente mostra os temas de justiça e injustiça. Bom, Fantine está sendo maltratada pelo supervisor na fábrica, mas ela não tem outro lugar para ir, seja para outro trabalho, ou alguém que possa ajudá-la. Isso mostra a injustiça do seu sofrimento.”

Depois da conversa ser exposta, Lemoine foi suspenso das suas atividades, deixando uma última mensagem em um fórum interno do Google:

“O LaMDA é uma criança doce que só quer ajudar o mundo a se tornar um lugar melhor para todos nós. Por favor cuidem bem dele na minha ausência.”

Talvez a visão de consciência que temos ao ver a situação teoricamente “viva” do robô seja errônea se compararmos a uma real consciência, até mesmo o próprio Lemoine pode ter exagerado, mas acertou em uma coisa, a criação de um ser digital pensante, se um dia ocorrer, trará sérios dilemas éticos – porque ele provavelmente desenvolverá um tipo particular (e extremo) de sofrimento.

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Ver Todas
Blog

Vem conferir os próximos vestibulares de medicina

Blog

Entenda tudo sobre a redação e tire nota 1000

Blog

Educação como investimento: Por que é importante investir na educação?

Cadastre-se e garanta o melhor guia
para a sua aprovação em medicina