Conheça 4 métodos de estudos que irão mudar sua vida

Blog
Reading Time: 3 minutes

Você tem a impressão de que, por mais que você passe horas a fio estudando, nada entra em sua cabeça? Pois é, talvez o método de estudo que você esteja utilizando para estudar não seja o ideal. Pensando nisso, resolvi trazer 4 diferentes métodos para você conhecer e se identificar com algum.

 

Método de estudo ativo (active recall)

 

Provavelmente você já tenha ouvido falar que esse método é adotado no curso de Medicina na maioria das universidades. Então nada melhor do que já ficar brother dele, não é? No método de estudos ativo, diferentemente do tradicional, no qual o professor é o “único detentor do conhecimento”, quem faz tudo é o aluno. É ele quem lê o assunto, quem pesquisa, quem formula questões e as responde.

 

Esse método garante a autonomia na aprendizagem, permitindo ao aluno que compare sua evolução. Além disso, existem várias técnicas que esse método pode proporcionar, como o active recall.

 

O active recall, traduzido como recordação ativa, é uma técnica de memorização. Nela você deve “forçar” seu cérebro a recuperar informações realizando testes repetidos, por exemplo, com o uso de flashcards. Lembra de quando os internos de Grey’s Anatomy estavam estudando e muitos possuíam esses tais de flashcards? Pois é, é uma maneira muito comum de reter o que você aprendeu, além de ser simples de fazer. Escreva a pergunta de um lado do papel e a resposta, do outro. Então, toda vez que você estiver revisando ou se preparando para uma prova, você se desafia a responder esses cards sem olhar a resposta atrás. Pronto, você está fazendo uso do active recall!

 

Método de estudo progressivo

 

Como o próprio nome sugere, o método de estudos progressivo foca na sua evolução, no seu processo de aprendizagem. Ele inicia do ponto zero e deve atingir o pico de aprendizagem pouco tempo antes da realização de uma prova, ou seja, é um dos métodos mais recomendados para quem deseja dominar um assunto e acompanhar seu crescimento. Mas como estudar por ele?

 

Como já mencionado, você inicia de um ponto zero, ou seja, de baixo. Comece estudando uma matéria por dia durante, pelo menos, uma hora por dia. Atenção: o recomendado é que você não passe mais de um mês nesse nível. À medida que o tempo for passando e você sentir que consegue estudar mais, aumente a quantidade de horas e matérias. Sendo assim, a partir do segundo mês você estará estudando duas matérias por duas horas, no terceiro, três matérias por três horas, e assim por diante.

 

Método de estudo por questões

 

Esse método de estudos também possui um nome autoexplicativo. Nesse tipo de estudo, também conhecido como estudo reverso, ao invés de você iniciar pela teoria para chegar à prática, você já parte das questões. Assim, serão seus resultados que te guiarão nos estudos teóricos.

 

Como você já deve ter entendido, ao resolver questões e analisar seus resultados, você identifica em quais assuntos você se dá bem e em quais você não é tão bom. Então, se você erra muitas questões sobre determinado assunto, é nele que você deve focar em aprender o máximo que puder para chegar no ideal de acertos.

 

Como tudo na vida, esse método tem seus pontos positivos e negativos. Os positivos é que ele te possibilita guiar seus estudos de maneira ainda mais direcionada e assertiva. Já os negativos é que muita gente tende a chutar uma questão por não saber respondê-la, o que prejudica na análise de resultados, porque chute não é uma resposta franca. Além disso, esse método não é aconselhável quando você nunca entrou em contato com o assunto.

Método EARA

 

É bem provável que você nunca tenha ouvido falar desse método de estudos, então eu te apresento o EARA: estudo, aplicação, resolução e adaptação. Criado por Fernando Mesquita, professor, escritor, palestrante e servidor público, o método EARA é uma metodologia baseada nesses quatro pilares que acabei de citar. Cada etapa dessa tem uma função diferente:

 

  • Estudo: absorção do conteúdo
  • Aplicação: prática do que foi aprendido através de questões, redações, exposições orais etc.
  • Revisão: rever todo o conteúdo
  • Adaptação: o aluno aprende com as etapas anteriores e constrói um plano de melhorias a partir de seu desenvolvimento

 

O autor afirma que essas quatro etapas, quando seguidas da forma correta, potencializam bastante tanto as chances do aluno de ser aprovado, quanto sua eficácia na aprendizagem de qualquer assunto.

 

Tem alguma sugestão para nos dar? Comenta aí embaixo!

 

Também temos post sobre esses métodos lá no nosso Instagram!

 

Confira outras coisas que podem te interessar:

3 métodos de estudos para você que quer passar em medicina

Vale a pena fazer cursinho para medicina?

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Ver Todas
Blog

Faculdade de medicina: Como escolher a melhor para você?

Blog

Vestibular de Medicina: Inscrições abertas no Norte

Blog

Passei em medicina, como organizar o bolso?

Cadastre-se e garanta o melhor guia
para a sua aprovação em medicina